sonho dessa noite.

Quero dividir com você o sonho que tive hoje: eu me encontrava comigo mesma com uns 4 anos, cabelos loiríssimos esvoaçantes pra cima, na praia, furando uma onda. Muito legal. Contei pra mim mesma que teria uma afilhada dos lábios carnudos (Ana Clara) no futuro e que eu ia amá-la muito. Não lembro de ter dito ou escutado mais nada de mim pra mim e vice-versa. Lembro que depois voltei ao lugar que tinha me encontrado em busca de mim, mas não encontrei nem a praia. Encontrei a C. num tom professoral falando coisas pra algumas pessoas que não lembro agora, interrompi pra perguntar se ela tinha visto uma criança por ali e me descrevi. Não lembro da resposta dela, mas lembro que não me encontrei mais. Saudade de mim! Hahaha.

17 de setembro de 2013

a carta.

“Não vá levar tudo tão a sério
Sentindo que dá, deixa correr
Se souber confiar no seu critério
Nada a temer
Não vá levar tudo tão na boa
Brigue para obter o melhor
Se errar por amor Deus abençoa
Seja você

No que sua crença vacilou
A flor da dúvida se abriu
Vou ler a carta que o Biel mandou
Pra você, lá do Brasil:

“Eles me disseram tanta asneira, disseram só besteira
Feito todo mundo diz.
Eles me disseram que a coleira e um prato de ração
Era tudo o que um cão sempre quis
Eles me trouxeram a ratoeira com um queijo de primeira
Que me, que me pegou pelo nariz
Me deram uma gaiola como casa, amarraram minhas asas
E disseram para eu ser feliz

Mas como eu posso ser feliz num poleiro?
Como eu posso ser feliz sem pular ?
Mas como eu posso ser feliz num viveiro,
Se ninguém pode ser feliz sem voar?

Ah, segurei o meu pranto para transformar em canto
E para meu espanto minha voz desfez os nós
Que me apertavam tanto
E já sem a corda no pescoço, sem as grades na janela
E sem o peso das algemas na mão
Eu encontrei a chave dessa cela
Devorei o meu problema e engoli a solução
Ah, se todo o mundo pudesse saber
Como é fácil viver fora dessa prisão
E descobrisse que a tristeza tem fim
E a felicidade pode ser simples como um aperto de mão

É esse o vírus que eu sugiro que você contraia
Na procura pela cura da loucura,
Quem tiver cabeça dura vai morrer na praia.”

Link: http://www.vagalume.com.br/djavan/a-carta.html#ixzz3K0mYK2SJ

‘não haveria luz se não fosse a escuridão.’

“A espiritualização da sensibilidade chama-se amor: ela é um grande triunfo sobre o Cristianismo. Um outro triunfo é a nossa espiritualização da inimizade. Ela consiste em se compreender profundamente o valor que possui o fato de se ter inimigos. Em resumo: frente ao modo como se agia e concluía outrora, se age e conclui agora inversamente. A igreja sempre quis, em todos os tempos, a aniquilação de seus inimigos: nós, imoralistas e anticristãos, vemos nossa vantagem no fato de que a igreja subsiste… No campo político, a inimizade também se tornou agora algo mais espiritualizado. Muito mais prudente, muito mais meditativo, muito mais cuidadoso. Quase todos os partidos compreendem que os interesses de sua autoconservação apontam para a necessidade dos partidos opositores não perderem suas forças; o mesmo vale para o grande político. Uma nova criação sobretudo, algo como um novo império, tem os inimigos como mais necessários do que os amigos: somente na oposição ele se sente necessário, somente na oposição ele se torna necessário… Nós não nos comportamos de modo diverso frente ao “inimigo interior”: também aí espiritualizamos a inimizade, também aí compreendemos seu valor. É preciso ser rico em oposições, e só pagando esse preço que se é fecundo; só se permanece jovem sob a pressuposição de que a alma não se espreguiça, não anseia pela paz… Nada nos parece mais estranho do que o que era desejável outrora, o que era desejável para o cristão: a “paz da alma”. Nada nos deixa menos invejosos do que a vaca moral e a felicidade balofa da boa consciência. Renunciou-se à vida grandiosa quando se renunciou à guerra: Em muitos casos, por sorte, a “paz da alma” é apenas um mal-entendido, – algo diverso que apenas não sabe se denominar de um modo mais honroso. Sem rodeios e preconceitos, aqui temos alguns casos. A “paz da alma” pode ser, por exemplo, a irradiação suave de uma animalidade rica no interior do campo moral (ou religioso). Ou o começo da fadiga, a primeira sombra que a noite lança, qualquer tipo de noite. Ou um sinal de que o ar está úmido, de que o vento sul se aproxima. Ou a gratidão inconsciente por uma digestão feliz (às vezes chamada “amor aos homens”). Ou a aquietação do convalescente, para o qual todas as coisas possuem um novo sabor, e que espera… Ou o estado que segue a um intenso apaziguamento de nossa paixão dominante, o bem-estar de uma saciedade rara. Ou a senilidade de nossa vontade, de nossos desejos, de nossos vícios. Ou a preguiça, convencida pela vaidade a adornar-se moralmente. Ou a entrada em cena de uma certeza, mesmo de uma certeza terrível, depois da tensão e do martírio produzidos pela incerteza. Ou a expressão da maturidade e do domínio em meio ao agir, criar, efetivar, querer, o respirar tranqüilo, a “Liberdade da Vontade” alcançada… Crepúsculo dos Ídolos: quem sabe? Talvez também apenas um tipo de “Paz da Alma”…”

Friedrich Nietzsche em O Crepúsculo dos Ídolos.

o mais pesado dos fardos.

“A idéia do eterno retorno é uma idéia misteriosa, e uma idéia com a qual Nietzsche muitas vezes deixou perplexos outros filósofos: pensar que tudo se repete da mesma forma como um dia o experimentamos, e que a própria repetição repete-se ad infinitum! O que significa esse mito louco? De um ponto de vista negativo, o mito do eterno retorno afirma que uma vida que desaparece de uma vez por todas, que não retorna, é feito uma sombra – sem peso, morta de antemão; quer tenha sido horrível, linda ou sublime, seu horror, sublimidade ou beleza não significam coisa alguma. Uma tal vida não merece atenção maior do que uma guerra entre dois reinos africanos no século XIV, uma guerra que nada alterou nos destinos do mundo, ainda que centenas de milhares de negros tenham perecido em excruciante tormento. Algo se alterará nessa guerra entre dois reinos africanos do século XIV, se ela porventura repetir-se sempre, retornando eternamente? Sim: ela se tornará uma massa sólida, constantemente protuberante, irreparável em sua inanidade. Se a Revolução Francesa se repetisse eternamente, os historiadores franceses sentiriam menos orgulho de Robespierre. Como, porém, lidam com algo que jamais se repetirá, os anos sangrentos da Revolução transformaram-se em meras palavras, teorias e discussões; tornaram-se mais leves que plumas, incapazes de assustar quem quer que seja. Há uma diferença infinita entre um Robespierre que ocorre uma única vez na história e outro que retorna eternamente, decepando cabeças francesas. Concordemos, pois, em que a idéia do eterno retorno implica uma perspectiva a partir da qual as coisas mostram-se diferentemente de como as conhecemos: mostram-se privadas da circunstância atenuante de sua natureza transitória. Essa circunstância atenuante impede-nos de chegar a um veredicto. Afinal, como condenar algo que é efêmero, transitório? No ocaso da dissolução, tudo é iluminado pela aura da nostalgia, até mesmo a guilhotina. Não faz muito tempo, flagrei-me experimentando uma sensação absolutamente inacreditável. Folheando um livro sobre Hitler, comovi-me com alguns de seus retratos: lembravam minha infância. Eu cresci durante a guerra; vários membros de minha família pereceram nos campos de concentração de Hitler; mas o que foram suas mortes comparadas às memórias de um período já perdido de minha vida, um período que jamais retornaria? Essa reconciliação com Hitler revela a profunda perversidade moral de um mundo que repousa essencialmente na inexistência do retorno, pois, num tal mundo, tudo é perdoado de antemão e, portanto, cinicamente permitido. Se cada segundo de nossas vidas repete-se infinitas vezes, somos pregados à eternidade feito Jesus Cristo na cruz. É uma perspectiva aterrorizante. No mundo do eterno retorno, o peso da responsabilidade insuportável recai sobre cada movimento que fazemos. É por isso que Nietzsche chamou a idéia do eterno retorno o mais pesado dos fardos (das schwerste Gewicht). Se o eterno retorno é o mais pesado dos fardos, então nossas vidas contrapõem-se a ele em toda a sua esplêndida leveza. Mas será o peso de fato deplorável, e esplêndida a leveza? O mais pesado dos fardos nos esmaga; sob seu peso, afundamos, somos pregados ao chão. E, no entanto, na poesia amorosa de todas as épocas, a mulher anseia por sucumbir ao peso do corpo do homem. O mais pesado dos fardos é, pois, simultaneamente, uma imagem da mais intensa plenitude da vida. Quanto mais pesado o fardo, mais nossas vidas se aproximam da terra, fazendo-se tanto mais reais e verdadeiras. Inversamente, a ausência absoluta de um fardo faz com que o homem se torne mais leve do que o ar, fá-lo alçar-se às alturas, abandonar a terra e sua existência terrena, tornando-o apenas parcialmente real, seus movimentos tão livres quanto insignificantes. O que escolheremos então? O peso ou a leveza? Parmênides levantou essa mesma questão no sexto século antes de Cristo. Ele via o mundo dividido em pares opostos: luz/escuridão, fineza/rudeza, calor/frio, ser/não-ser. A uma metade da oposição, chamou positiva (luz, fineza, calor, ser); à outra, negativa. Nós poderíamos achar essa divisão em um pólo positivo e outro negativo infantilmente simples, não fosse por uma dificuldade: qual é o positivo, o peso ou a leveza? Parmênides respondeu: a leveza é positiva; o peso, negativo. Tinha ou não razão? Essa é a questão. Certo é apenas que a oposição leveza/peso é a mais misteriosa, a mais ambígua de todas.”

Milan Kundera em A Insustentável Leveza do Ser

as coisas são assim mesmo.

Importante: estou mandando esse e-mail pra mamãe, vovô, Marina e Carol pra eles poderem ficar a par de tudo também e não se preocuparem (se bem que mamãe já sabe todos os planos, falei quase uma hora com ela no telefone esse final de semana). Amo vocês.
Pai, você não deve estar entendendo nada, né? Do nada eu te ligo dizendo que vou usar o cartão de crédito, depois que vou viajar pela Europa e nem disse pra onde… tô até com peninha aqui, mas deixa eu te explicar tudo direitinho.
Bom, meus planos, no começo, eram trabalhar aqui e devolver o dinheiro pra você e pra mamãe. Não queria gastar nada aqui. Se possível, queria pegar mais um pouquinho ainda e viajar com minhas amigas pelo litoral do Brasil no final de ano. Esse era o plano inicial, mas tudo foi mudando. Batia de porta em porta nos restaurantes e afins e nada.
Logo quando cheguei tinha uma vaga de sanduíche maker numa das filiais do restaurante que Maurício trabalha. Já estava tudo certo, o japonesinho que é o dono já tinha me dito meu salário, a roupa que eu deveria usar, etc. etc. Quando ele me perguntou quanto tempo eu ia ficar aqui em Londres, eu, leigamente (achando que ele iria precisar de mim só no verão mesmo), respondi que até o final de agosto (muito pouco tempo, pois ele me treinaria e etc. e queria por pelo menos 6 meses). Cara, pai, eu o vi mudar de idéia na minha frente. Aí ele falou que me ligava na quarta e tal. E nada até hoje. Fiquei muito chateada, era a oportunidade pra mim. Ganharia uma grana ótima, mas deu errado. As coisas são assim mesmo. Continuei correndo atrás e achei aquele cleaner daquele escritório perto da fábrica que foi a capa de um dos discos do Pink Floyd que eu falei. O encarregado da faxina gostou tanto do trabalho que eu e meu amigo fizemos que nos contratou e eu vou começar hoje a limpar uma escola perto do Hyde Park. Esse meu “chefe” me adora, até demais sabe. Ele é mais velho que você e casado com a prima de um dos moradores da minha casa. Ele fica falando pra eu ficar aqui mais 2 anos. Um saco, sabe? Mas eu nunca fico sozinha com ele, pode deixar. Com esse trabalho como cleaner, vou conseguir 50 libras por semana, ou seja, 1200 reais por mês, o que dá pra pagar estadia e comida na minha viagem pela Europa. Serão apenas duas horas por dia de trabalho, ou seja dá facilmente pra eu conseguir outro emprego. Vou falar com o Daniel (o inglês que é meu chefe) e ver se ele consegue outras faxinas pra eu fazer. Vou explicar que vou viajar e talz, acho que ele consegue. E fiz o application form (estilo currículo) em vários pubs e restaurantes aqui de Londres. Até agora não me ligaram, mas esperança é a ultima que morre, né?!
Bom, resolvi viajar pela Europa porque Maurício já estava com esses planos e, ao conversarmos, vi que realmente valia a pena. Não só pela companhia, mas pelo dinheiro. Aí liguei pra mamãe ontem e a perguntei se eu podia usar o dinheiro que ela me deu (os 1000 dólares que eu pretendia devolver quando voltar). Ela deixou e ainda ficou toda animada querendo saber de tudo. Aí eu e Mau fizemos o roteiro e compramos as passagens, tudo pela internet mesmo (por isso precisei usar o cartão de crédito). Eita globalização!
Será o seguinte: saímos daqui no dia 21 e iremos pra Amsterdã na Holanda. Ficaremos dois dias lá, conhecendo tudo. No dia 23 (meu aniversário) vamos pra Barcelona na Espanha e passaremos também dois dias. No dia 25 vamos pra Paris na França. Chegaremos de manhã. No dia 26, ao meio dia, eu volto pra Londres, porque meu voo pro Brasil á às 10 da noite do dia 26. Mau vai dia 27 pra Berlim na Alemanha e depois ainda vai pra Roma e Pizza na Itália. Muito legal, né? Pra mim seria impossível, porque, além de ser na minha primeira semana (e de trote) na UFF, eu precisaria de um pouco mais de dinheiro e o meu dinheiro está literalmente contado (se eu voltar com um centavo pro Brasil está ótimo! HAHAHA). Nós vamos ficar em albergues que são baratíssimos comparados aos hotéis e comeremos nos MC Donald`s, coisas assim.. 🙂
Bom, eu estou muito animada com a mudança de planos. Tudo que eu mais amo nessa vida é viajar e nada como fazer o que se ama, né? Estou amando, pai. Muito obrigada por me ajudar. Sobre o dinheiro da passagem, não se preocupe: a primeira coisa que eu vou fazer quando chegar ao Brasil, depois de ir à praia (lógico), será procurar um emprego e te pago as parcelas por mês, ok?! Mãe, vou te pagar seu dinheiro aos poucos assim também, tá?
O duro é que no Brasil os salários são de fome, né? Vou ficar injuriada de trabalhar e ganhar migalhas comparado ao que eu tô ganhando aqui e trabalhando apenas duas horas por dia, mas…
Ahhhh, estou doida também pra começar a faculdade. Você não imagina o quanto…
É isso, pai, espero que você tenha entendido mais ou menos agora. Coitadinho, devia estar todo perdido ai. Desculpa. É que ligar pro seu celular é caríssimo (vou te dar um exemplo: no domingo falei por 25 minutos com mamãe e Carol e gastei 20p, ou seja, 1 real e 20 centavos. Com você, eu falei 2 minutinhos e gastei £1.50, ou seja, mais que 9 reais!!) Mas. no sábado de manhã, dá pra eu falar com você. Ligo pra Distrilagos e a gente se fala. Reze por mim no meu novo emprego e pra eu arranjar outro pra poder comprar lembranças dos países pra você e mamãe.
Estou indo botar o dinheiro na sua conta e depois trabalhar.
Se cuida por aí. Muitos beijos e fica com Deus.
Eu te amo muito.
Beijinhos da sua filhota.
PS.: O que eu queria mesmo eh fazer todo esse roteiro com você, mas… 😦

Londres – 13 de agosto de 2004.

17 de dezembro de 2005.

O dela: acordei destruídaaa… 3 horas da tarde!! comi uma banana pra não dar cãibra com mamãe e carol que tavam tomando café.. e tomei muita água.. tá um calor de matar!! tentei esfriar a agua de coco, mas não consegui .. depois me arrumei.. botei shortinho que calça no way!! e fui com mamãe, carol e beib (rapha ficou pra cuidar do bolo) pro futebol.. mó trânsito no vupt por causa do 61 escangalhado.. fomos pela Moreira césar.. passamos na farmácia.. e calor danadooo! chegamos lá e ficamos de papo com lívia e mariana.. muito bom o clima.. apresentei todo mundo pra mamãe e carol.. depois esperando o sol baixar.. muito quente sério.. tentamos treinar carol pra ver se dava pra ela agarrar pra gente mas desistimos hAEhaHEae.. arrumamos a Liana que tava tomando coco, coitada, de última hora ! haEHaHEae.. jogamos uma altinha antes.. e o jogo.. perdemos o primeiro de 6 X 5 e o segundo de 8 X 1!!!! AHEhaEhaE.. que merda, cara.. no primeiro, mó calor sério.. não dava pra jogar.. e o segundo, time adversário muito bom .. mas a gente muito mole também.. eu não fiz NADA.. impressionante.. fiquei puta.. mamãe só me viu jogar mal 😦 saímos de lá mais de 9 horas já.. muito bom .. e MORTAS !!!!!! totalmente .. vim em casa.. tomei um banho.. botei pijama e fiquei na internet.. depois me arrumei correndo e desci pra levar o carro pra má com ana e beib.. não consegui nem tirar a tranca do meu.. ia dirigir sozinha pela primeira vez! má e ana deixaram eu e beib no saco .. ficamos na academia com o pessoal do foot.. diego, monique, tati, markito, cid e amigas de monique.. bebemos muito chopp geladinho que tava descendo que nem água.. e tiramos mil fotos.. adorei os papos.. tão bom conhecer gente nova! guerra de papelzinho teve tambémm hehehe.. encontrei dika, bia, cheade e ingrid e julia prima .. depois estresse com carol .. coitada, deixei ela ir no carro caindo aos pedaços de mamãe sozinha pra sense.. e furo com as meninas e acabamos eu, beib, cid e domini indo com cid pra sense 2 da manhã !!! haEhaEhaEHaHE.. beib caindoooo.. haEuhaae.. chegamos e txaram.. cortesia.. todas metidas entrando aHEhae.. sem fila nenhuma, milagre! e marcelo já lá dentrooo.. onNNnN.. e aniversario de liv e todas as amigas lindas de carol lá .. dancei demais da conta.. e meu triângulo amoroso lindooo haEhahe .. marcia e aduardo, que nao bebem refrigerante e adoram circuladô haEhaE.. bolamoss.. bom demais .. varios pasteizinhos.. e cecella muito figura.. passei mal de rir ..na volta no carro melhor parte.. arrotos, escarradas.. haEha deixamos marcelo em casa e voltamos cantando musicas de videokê haEhaHEahE.. com cecella com a porta aberta.. cecella a melhor.. depois vim pra casa .. e dormi no meu quarto sem persiana que caiu haHEaHEhae.. mortinhaaaa.. trebadaaa.. mandando msg pra marcelo e pra beib de como nossa vida é boaaaaaa.. todas bobas e felizes! que beleza, dona teresa! brigada, my god.

 O dele: Voltei a escrever, tudo culpa da Jô Acordei com minha mãe gritando COLTTTTTTT, tinha cagado na sala tadinho saiu correndo pra cama king size dele. Almoçei direto pq era ja era 1 hra fui tomei banho troquei de roupa ae fui no multicenter com edu, carol e meu pais. Comprei um tênis da adidas irado e depois eles foram pra babilonia e me deixaram na casa de Deh… Churrasquinhos tava rolando lá, uma pessoas aleatorias com um estilo despojado meio tcheka (q velho isso)… fiquei na piscina um poco, ae chego pava com bagueira, fernanda e carol e o fabricio com o taaa malaaaaco e outras 2 pessoas… Fiquei quase o tempo todo conversando foi manerinho tirando a parte que tomei um tombo… fiquei very fuckin’ drunk pra varia um poquinho e como celular e bebida quase não combinam os dedinhos nervosos entraram em ação..msgs pra lá msgs pra cá e pior que meu cel ficava na mesa e eu na piscina todos viam a msgs e ficavam gastando e eu poco timido, não ficava nem vermelho iuhaiuahiauhai …todos foram embora, resto só eu carol deh nat e um casal mto gente boa que esqueci o nome…falto luz mó merda ae fui embora..mamãe veio me pega – droga de carteira – sai do carro deslizei pra garagem, mamãe fico só rindo uahuahauhau fui toma banho e fui direto pra sense Cheguei la encontrei duda louis e o pai deles ae furei mo filao com eles entrei e fui pra vip, pedimos um combo – pedimos foi otimo, como se eu q fosse pagar né – e bebi demasiadamente, fiquei mandando msg pra jo até ela chega e ela demoro 128192891891898219 anos, ja tava nervoso já Acho q to gostando dela, acho não, eu gosto dela sei lá mas ela disse q nunca gosto de alguem, nem eu, talvez eu fosse a diferença talvez não, talvez fosse ela a diferença, talvez não…melhor esperar né Enfim ela chego e fiquei a noite toda com ela…nos apresentamos como namorado e tudo e claro alguns troxas acreditaram..deborah quase chorando de felicidade no meu ombro uahuahauhauhauahua Ficamos quase o tempo todo la fora, mais weird q ela só mesmo as amigas delas… A cecella é a mais engraçada do mundo e a irmã dela..moço roubaram meus sapatos hauhauhauahuahauhauahua ri mto A volta foi melhor ainda, entres churrasquinhos, portas abertas, arrotos, escarradas na boca e cuspi na porta, me diverti mto Assim q cheguei em casa, carol chego tbm, falo q tinha terminado com ryan e sumiu quase chorando pro quarto dela, tadinha… Mto tempo nao me sentia feliz como hj….uns dos melhores dias do ano so far Como q se despede? Abraços diario Uahuahuaha Q porra escrota