meros devaneios a me torturar (tolos, será?)

Quero ser sincera, quero ajuda. Não sei nem da onde começar, mas vamos lá.. A verdade é que eu “cresci” faz pouco tempo e – como tudo pra mim! – é tudo muito doloroso – no sentido de difícil, de eu deixar rolar… Vou tentar melhorar.. o estágio no escritório veio na hora que devia na maioria dos sentidos – nunca é em todos, mas.. nada é! – quando eu tava me desenvolvendo emocionalmente – tava com o primeiro namorado! – veio a hora do desenvolver profissional e pra vida! Cara, tá ficando terrível isso. Deixa eu tentar melhorar mais um pouco.. bom, acho que a firma – como você e só você, chama! Porque é escritório na verdade.. – veio com muitas mudanças! Aquelas que todo mundo passa mais cedo ou mais tarde.. de que você tem que contar consigo mesmo acima de tudo! Todo mundo tá vivendo sua vidinha, plantando e colhendo, ninguém vai parar – nem pode! Nem deve! –  a vida em prol da sua, eu digo, pais, namorado, amigas o que seja.. tudo isso eu me dei conta faz pouco tempo.. É tudo assustador,  e eu tenho mania de aumentar mais e mais. Na vida pessoal: minha irmã indo morar longe, me mudei – espaço físico, onde você vive e dorme é big deal pra mim, não adianta.. e é mesmo.. vide o FengShui! Mas isso é outro assunto… término do meu primeiro amor de verdade! Amor diferente do que se vê, o nosso amor.. sabe? Imaturidade pura, de ambos.. Mas isso é outro assunto também.. Na vida profissional, eu lembro o quanto eu tava maravilhada de estar ao redor de gente que compartilhava comigo das mesmas dúvidas, interesses ou, ao menos, das matérias legais apenas denotativamente ou linguajar rebuscado quando tudo que se quer é falar um brother.. e o contrário também. Mas, por outro lado, a correria, ter mil coisas pra fazer, listas e mais listas que eu num conseguia botar aquele okzinho na frente da coisa pra fazer de jeito nenhum! Chegar à casa morta, pernas doendo, marcas vermelhas nos sapatos,  deitar na cama e, simplesmente, não dormir! Até porque, você ainda tem aquele livro pra ler, ou assunto mal resolvido com alguém, ou como será que tá aquele seu seriado preferido, ou ‘caramba: hoje não falei com meu pai nenhuma hora do dia, ou será que eu fui grossa agora no jantar com mamãe? Ah.. ela sabe o quão cansada eu tô!’ E final de semana, ânsia de abraçar o mundo! Sair, beber, praia, ler, amigas, sua família que você vive – ? – mas não vê, ou pô, será que vou encontrar alguém interessante hoje?, visitar o pai lá longe, falar com o primo que nunca mais se viu, dormir! E dava? Nunca.
Ao mesmo tempo, era todo mundo na mesma correria.. sei-lá. Por que você não pode? Direito? Aprendi pra caralho! – o velho palavrão pra definir o indefinível e qualificar o inqualificável! Sorry. – em todos os sentidos, de conseguir levantar o dedo numa aula e perguntar o que fosse pra qualquer professor e o melhor, sabendo o quão pertinente sua pergunta é! Sabe? Não mais ficar vermelha de vergonha e tremer na base pra qualquer coisinha.. Isso de saber a preciosidade do tempo, de que em 24 horas você pode fazer é muita coisa! – confirmei em Las Vegas. Ao mesmo tempo, quanto processo que me torturou montar a defesa ao me colocar no lugar do cliente, receando que a parte eu precisava defender estava errada o tempo todo, coitados dos consumidores que só de terem ajuizado uma ação, certamente, passaram por poucas e boas. Hard. E, o mais importante, as pessoas! Eu me apaixonei por cada um aí dentro! – que eu convivia, óbvio.. – de saber os cacuetes! As caras-de-cú! Comida preferida, dia pior da vida e o melhor! Sabe? Aí, eu tento botar tudo na balança e… o mais difícil, tentar ver o que é melhor pra mim! Você disse tudo, no que tange ao dinheiro! Infelizmente – e bota infeliz nisso!  Não dá pra viver de amor! – e, no momento, a situação tá crítica no sentido de que, não bastasse as mudanças dentro da minha cabeça depois desses 4 meses vivendo uma vida anormal em Las Vegas, em todos os sentidos – Assunto pra outra hora também.. –  gastei todo o dinheiro que ganhei no work experience na viagem, viajando (NY, Grand Canion, Los Angeles, Hawai’i) e indo às atrações (haja Cirque du Soleil nessa tal Las Vegas)! Não me arrependo, não mesmo… agora fica chato não ter o meu próprio dinheiro. Hoje tava organizando papelada antiga, quanta conta de bar, boate e tudo  o mais eu paguei com o meu cartão, cuja fatura eu mesma paguei! Sabe? Inclusive a viagem, dá gosto de fazer e viver. Orgulho de si mesma, e que seus pais o sintam também! Você dá conta por você das suas futilidades.. Aliás, quase tudo que faço é pensando nas palavras que ouvirei deles.. – pedir um dinheiro pra ir ao cinema, tomar aquele chopp, fazer meu francês, malhar, comprar aquele livro, que seja! Sabe? Cara, a primeira sexta-feira que fui aí no escritório de novo, a dor de barriga de nervoso no catamarã, tremedeira nas pernas, Botequim do Itahi! Saudade dos pães na chapa com  manteiga no café-da-manhã! Os prédios suntuosos e lindos do centro do RJ, as baias marronzinhas que quantas vezes me fizeram pensar que eu tinha dormido no escritório de tanto tempo dentro daí, até o banheiro! Revertério! E o cafezinho quando fui tomar? Tava decidida a pedir pra voltar, botar meu vestido de estágio preto, centrar-me, e pedir pra voltar! Corpo&Alma.. Aí, sábado passado, de manhã, no ônibus indo pro CEPAD – curso pro TRF! E desde quando eu quero ser técnica do judiciário, gente? Com uma amiga que cresceu comigo – essa você se identificaria sério! Papo pra outra hora.. – ela me contando do que eu perdi por aqui na vida dela nesse tempo que estive fora, que ela trocou de estágio – afinal de contas, a essência do estágio seria experimentar, né? – e amando, aprendendo sobre música brasileira – ela faz comunicação e tá na MPB FM, by the way.. -, com vontade de acordar cedo, tomar café-da-manhã correndo e ir trabalhar, mas que, como todos, ainda não sabe o que quer, tem mil neuras e tá vivendo, correndo.. Aí, pronto! Penso eu que o Márcio ter ficado ao telefone mais de 40 minutos foi um sinal de que eu não deveria voltar, isso sim. Que deveria procurar algo relacionado ao Direito Internacional, Ambiental, Criança e Adolescente que seja, algo mais eu. Novo. E, desde que voltei, tô no lema: QUE O SONHO VIRE ROTINA! Alguém definiu outro dia isso como qualidade de vida! E é isso.. eu queria mesmo é fazer meu exercício e meu curso de língua – qualquer uma! – de manhã, almoçar a comida da dona Maria, soninho da tarde, trabalhar numa ONG, dar aula de artes, ensinar a fazer papel marché – receber e dar algo puro!, ler o que quiser, ver o filme que bem entender, estudar… Faculdade com a corda toda, bem disposta, pra poder olhar no olho do professor e sua cabeça não cair, sabe? Minhas aulas de surfe e violão.. e viajar – não o normal! Eu gosto de viver nos lugares, sentir a atmosfera, as tradições, as pessoas e os turistas, mais e mais… não canso, não adianta! Acho que terei que ser diplomata mesmo. Mas e meus filhos? Vão ficar sem referencial, isso pode gerar um trauma! Será que vou ter filhos? Viverei até lá? Por outro lado, eu cansei de viver pro amanhã, em prol dum objetivo a longo prazo, quero o agora, o hoje! Tem muita gente por aí me chamando de louca, só porque tenho vontade de vomitar em conversa casual de elevador, ou num domingo em família que nego se força a falar o que nem ta com vontade, ou quando fofocam da vida sexual alheia, cansei, não tenho paciência. Sabe? Hoje eu li o dia do meu aniversário no diário de 2005 e de 2006 e, incrível!, eu envelheci um ano só não, cara.. foram 1.000!! É foda. Que que faz? Às vezes  – será mesmo? –  queria, apenas, viver, deixar rolar.  Sem pensar, que nem John Malkovich naquele filme ou aquele livro que te falei, o lance da ignorância! É, Joana.. você cresceu.. ou o contrário, isso sim?! Bom, acho que é isso. Posso ter usado as palavras erradas trilhões de vezes, ter exagerado outras milhões, esquecido de algo – essa é fato! – mas dá pra você ter uma breve noção da demanda. Quis ser o mais sincera possível.. essencial. Ainda mais percebendo o quanto você é comigo. Agora imagina se daria pra conversarmos isso numa mesa de almoço? Nunca, mas nunca mesmo que você chegaria pra Audiência das 14:00 horas a tempo… right?

Adaptação de e-mail escrito e enviado em 16 de maio de 2007.

Advertisements

One thought on “meros devaneios a me torturar (tolos, será?)

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s